18 setembro 2011

#18 Carta para a pessoa que gostavas de ser

texto tão desnecessário. sei que muitos contam o que irei escrever apenas para ficar bem, porque caso digam o contrário são considerados burros. no meu caso não e quem me conhece sabe bem do que falo. sou confiante e é raro duvidar de mim, mas sim, muitas vezes desejei ser alguém diferente, apenas o senti por uma pessoa. ela tinha tudo o que eu sempre quis, uma grande amizade que outrora havia sido a minha e uma história que sempre sonhei ser eu a contá-la. no entanto o tempo fez-me ver a realidade. o tempo cura tudo e estou-lhe eternamente agradecida. ele fez-me ver que sou linda à minha maneira, que quem não gosta não come, que os meus defeitos tornam-me original e que se tenho os amigos que tenho é porque melhor que eu não há. não me arrependo daquele momento mau da minha vida, porque se não tivesse sentido isso por ela, sentiria um dia mais tarde por alguém e assim, já preparada estou. agora vejo-me ao espelho e estou pronta para sair de cabeça erguida. gosto de mim assim, sem medos na aceitação do outro. lamento, mas esta é uma carta sem destinatário, pois eu estou bem assim. tal e qual como me fizeram, sem tirar nem pôr.